domingo, 27 de dezembro de 2015

Moro Num País Onde... Coluna do Maridex

Moro num país onde:

O povo é roubado por quem deveria tomar conta dele.

A polícia é agressiva e desonesta.

Os bandidos matam quem não reage.

Filhos matam pais, pais matam filhos.

A imprensa manipula a opinião.

Religiosos pregam amor e são intolerantes.

Maiorias agridem a minoria só por serem minoria.

Minorias querem se igualar às maiorias usando as mesmas armas pelas quais são agredidos.

A urna é eletrônica (e é a única coisa neste país que juram ser incapaz de errar).
O rico bêbado dirige e mata, e responde em liberdade por homicídio culposo.

O pobre bêbado dirige e mata e além de apanhar ao ser preso, vai direto para o presídio com direito a um julgamento tendencioso.

Os juízes são deuses que podem fazer o que querem e ninguém pode reclamar (em outros países podem ser destituídos dos cargos permanentemente se julgarem mal algum caso).
O povo fala mal do político, o reelege, depois elege quem ele manda, e continuam falando mal durante 30 anos sem mudar... e quando mudam, voltam para o que tinha antes dos 30 anos, que era tão ruim ou pior... tem medo de mudança verdadeira.
A "criança" de 16 anos pode votar, roubar, matar, traficar, fazer filhos e não pagar pensão (porque não podem ser presos). Só não pode trabalhar nem responder pelos seus atos de forma justa.
O pai de família não tem direito de ter uma arma pra defender sua família em caso de invasão. Mas quando sua família é executada é visto como covarde que morreu implorando.
Orgulho gay não é sair pra rua e mostrar que somos todos iguais, mas fazer baderna, sexo explícito e enfiar cruz na bunda.
Orgulho hétero não é sair na rua e mostrar que somos todos iguais, mas sair na rua e dizer que faz parte de uma parte maioritária da sociedade e por isso não aceita os diferentes.
Não existe marcha do orgulho humano.
Dia da consciência negra é só um dia pra falar da escravidão. Não pra falar de igualdade...

Não temos direito de protestar. Só na teoria, na prática isso não existe.
Pagamos uma das maiores taxas tributárias do mundo e temos um dos menores retornos do Estado.
Nos dizemos pátria educadora, mas nossas escolas estão morrendo por falta de verbas que sustentam os políticos.

Vivo num país onde o maior sonho de um cidadão sensato, o sonho mais respeitado e compreendido, é o sonho de não morar mais neste país...

Um comentário: