quarta-feira, 21 de maio de 2014

Bodas de 10 anos de casada, muitos Feliz...


 
 
 
Pois é... há 10 anos conheci esta mulher. Ana Carla Machado.
Há exatos 10 anos me apaixonei. Não foi a primeira vista, tal qual a atração, mas foi aquele amor gradativo, porém rápido, e não levou tempo nenhum para não mais conseguir me imaginar longe dessa mulher.
Curtimos algum tempo juntos, não dava pra não querer transformar esse tempo em TODO TEMPO.
E nunca tive alguém tão companheiro quanto essa mulher. Com todo respeito aos bons amigos que fiz na vida, mas esta mulher me entendia tão bem que me pôs a dúvida sobre a existência real de alma gêmea, sob o conceito de alma única que se divide em dois seres.
Faz sentido, seja por mensagem divina ou não, nascemos EXATAMENTE na mesma noite. Não sei se acredito em coincidência. Mas sei que acredito não existir no mundo, com respeito total aos casais amigos e conhecidos, casal que seja tão unido como nós dois.
Superamos as frescuras e chatices que eu sempre ouvia falar que haviam no relacionamento. Não no nosso. Não somos perfeitos individualmente, ninguém o é. Mas creio sermos perfeitos quando juntos.
A vida nem sempre foi generosa, Deus sabe o quanto temos que lutar pra prosseguir. Mas a felicidade nunca nos faltou.
Dois anos depois a felicidade aumentou, proporcionalmente ao número que nos somou. Se dois eram 100% de felicidade, quando nos tornamos 3 talvez, perdoem-me por não ser um matemático renomado da vida, nos tornamos 150% felizes. E Hanna Júlia foi a melhor coisa que nos aconteceu até então.
Mas a vida, como diria Joseph Climber, a vida é uma caixinha de surpresas. E três anos depois, seguindo nossa decisão de não prolongar mais a vontade de sermos ainda mais felizes como se tanto já não bastasse, nos tornamos 200% felizes com a chegada do Gregory às nossas vidas.
Acho que a partir daí a felicidade ia dobrando ano após ano, aniversário após aniversário, 5 por ano: 2 nossos, dos nossos frutinhos e O nosso.
Hoje é dia 22 de maio de 2014. Apenas um dígito diferente na data que me recordo ser 22 de maio de 2004. Hoje fazem dez anos que encontrei uma razão forte pra continuar vivendo, o sentido da vida, a razão de existir.
Não sou poeta mais, como era há dez anos. Mas ainda sou o mesmo apaixonado adolescente, e isso é mérito desta mulher.
A vida levou o sonhador, mas deixou aquele menino inocente... acho que isso é mais defeito que qualidade, mas se hoje me nego a deixar a infância pra trás, pelo menos em sua totalidade, é por conta de ter medo do adulto estragar o que já é perfeito. E pra quê ser adulto se tenho duas crianças em casa pra divertir e uma mulher que ama minha ingenuidade e meu jeito garoto de ser.
Minha garota, minha mulher, minha amada, minha esposa e eterna namorada. Consegui até dar uma rimada. Eita, vou te deixar animada... a minha felicidade se chama Ana Carla. Nossa, rimei pra caraca.
E na vida tivemos pedras, espinhos, quedas dolorosas, separações, tristezas, traições de terceiros... mas não tenho do que reclamar. Deus permite que pedras venham pra que possamos aprender a transpassar. Porque quando a montanha chegar, vai ser mais fácil de escalar. E que venha, estou pronto pra ela. Do teu lado até o sertão é fresquinho, ameno e agradável.
O que são tão poucas pedras se tanto amor reluz e cega os vilões da história tal qual conto de fadas? Conto de fadas não existe? Isso é o que dizemos quando estamos tristes. Mas pensa comigo: a duquesa tem um duque. O barão tem a baroa. Nem de perto são completos. Mas como metades da laranja, citando o canastrão, duquesa e barão. Esses se combinam e se coroam. Princesa e príncipe, rainha e rei se tornam ao montar seu próprio reino. Reino andante, muda de lugar várias vezes, mas ainda é o reino encantado e eterno. Como todo reino enfrenta guerras. Mas vai vencendo e prosseguindo. Princesa e depois príncipe se unem à batalha. Tão inocentes quanto deveriam ser todas as crianças, mas que o mundo contemporâneo leva embora... não no nosso reino. Bruxas, feiticeiros, duendes, cavaleiros negros e rainhas vermelhas surgem e se vão tão rápido que nem nos lembramos deles no prosseguir do conto. Viver no paraíso não é tão bom porque juntos o rei e a rainha nem sempre estão. Mas a distância só os faz perceber que estão chegando no “felizes para sempre”. Lembremo-nos que antes de todo “feliz para sempre” há o momento derradeiro. A princesa que dorme até ser beijada, o príncipe que volta a ser sapo, não importa... no fim, o que aguarda todo final de conto de fada é o “viveram felizes para sempre”.
Eu sempre fui feliz e pleno ao teu lado. Momentos de tristeza todos passam. Mas tristeza não é infelicidade, posto que é passageira e lembrar que te tenho ao meu lado sempre me levantou e me trouxe um sorriso permanente.
E continuamos nosso caminho.
Pedras são naturais. Mas transpô-las com maestria é NOSSA natureza.
E fizemos com classe, amor e paixão por 10 anos.
Droga, que venham mais 100 anos.
Não sou sábio, nunca fui. Talvez um dia serei, quem sabe? Mas o que mais me orgulho na vida é de saber que o principal eu já tenho. E conquistei cedo: a plenitude no amor verdadeiro.
E enquanto Deus permitir que assim o seja, enquanto a vida nos restar, longe ou perto não importa... é com você que quero pra sempre estar.
Caraca, falei demais.
Falei, falei e ainda não acho que expressei tudo que queria... mas ok, palavras são só palavras. O que mais importa é o viver, é o agir. O “eu te amo” vale absolutamente nada se ele não representar a verdade, se ele não for representado no convívio.
E sim, eu te amo. Com palavras e com cada átomo do meu corpo.
Amo você, amo nossas crianças e pra mim somos a família perfeita. Que se danem os que discordam, que dane-se eu quando penso que não sou digno, porque sou sim. Lutei e luto por vocês. Você é uma mulher guerreira, uma heroína, a super mãe e esposa perfeita.
É com você que quero estar quando fechar os olhos pra sempre, ou pelo menos com nossos frutos, se não for possível. Deus é quem sabe como será. E não me preocupo com seus planos.
E não se assuste com essa última frase. O que é natural há de vir, mas não precisa ser triste tal qual não precisa ser rápido. Que demore uma eternidade, mas que me permita ser feliz até o último instante.
E enquanto eu estiver ao teu lado, felicidade não faltará. Não é esperança, é certeza, tenho dez anos de lembranças pra confirmar.
E se um dia a vida a um de nós levar, o mais importante teremos pra continuar: lembranças perfeitas e sentimentos verdadeiros, isso nada pode nos tirar.
Hoje em dia isso é tão raro que, abençoado é pouco, ganhamos na loteria do amor. Quais seriam as chances de combinar tanto? Mas já ouviu falar de alguém que combine tão bem quanto nós?
Somos almas gêmeas, tenho certeza.
Você é, há dez anos, a tradução literal da felicidade pra mim. E tudo que veio desse amor foi apenas mais e mais felicidade.
Te amo, Ana Carla Machado.
A mulher que me faz feliz há dez anos e fará por pela eternidade.
#juntosatéofim
— com Carla Machado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário