sábado, 1 de fevereiro de 2014

Menos Carros



Eu sempre achei curiosa a forma que o governo tem de “resolver” os problemas da população.



                O governo teve de pensar num jeito de diminuir a miséria e aparecer mais bonito lá fora, antes que os EUA tomassem uma atitude contra o Brasil pra botar as coisas nos trilhos, como fazem lá fora. E olha que petróleo aqui tem de sobra para incitar atitudes internacionais. O governo então pensou rápido e resolveu criar as bolsas, que nada mais são do que dar dinheiro pra quem tiver muitos filhos. Cada filho agora vale dinheiro. Não resolveu bem o problema, mas apareceu bonito lá fora. Lá fora só olham os números e as estatísticas. O problema é que aqui dentro, agora que filho vale dinheiro a tendência não é diminuir a pobreza, mas aumentar... ok, isso é assunto mais profundo pra ser discutido em outro artigo.



                Onde quero chegar é nas formas “criativas” do governo resolver problemas que outros países resolvem de forma honesta.



                Agora vem a grande novidade. Segundo o governo, tem mais carro que estrada. Como resolver? Uma pessoa sensata diria: melhorar MUITO o transporte público, DOBRAR a quantidade de ônibus e trens, liberar as VANS E KOMBIS que o excelentíssimo prefeito Eduardo Paes proibiu na Zona Sul do Rio de Janeiro e, DEPOIS DISSO (E APENAS DEPOIS DISSO), largar o dedo em campanha publicitária para que o povo troque o carro pelo transporte público.



                Agora eu lhe pergunto, nobre leitor: você acredita que o governo esteja iniciando um projeto parecido com isso? CLARO QUE NÃO! Isso aqui é Brasil. E qual a solução mais produtiva que encontraram os “competentes” políticos brasileiros, e principalmente cariocas? Diminuir pela metade o número de vagas nos estacionamento, fechar alguns, diminuir e restringir as vagas EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS. Sim, aquele caos que já é HOJE para encontrar uma vaga, com preços abusivos, flanelinhas extorquindo e tudo mais... VAI PIORAR.



                E aí quem sentir-se forçado a ir de ônibus para o trabalho, simplesmente deixará o carro na garagem e pegará o busão ou o minhocão. O problema? As “vossas excelências” do nosso Brasil Baronil não andam de ônibus, não andam de trem, não andam de metrô. Na cabeça deles está tudo a mil maravilhas por aqui fora. Mas não. “No horário de pico,(como diz o poeta “Híbrido DC”), “eles estão dormindo ou como sempre viajando com os seus Iates lindos”. Se os “excelentíssimos” pegassem condução, nem que fosse usando uma máscara de “gripe suína” e boné (para não serem reconhecidos e linchados pelo povo), entenderiam talvez o que a gente passa pra chegar no serviço e deixar o carro em casa.


                Senhor Prefeito, Senhor Governador, Senhora Presidenta, Senhores Deputados, Senadores, Vereadores, Ministros, pelo amor de Deus eu pergunto: o fim do suposto caos no trânsito vale à custa de um caos no transporte público? Pensa no seguinte: “quando o motorista entra em greve, o caos vai ao topo (novamente citando o mesmo poeta) e o povo chega atrasado de novo”. E quando o povo por opção resolver todo de uma vez pegar condução? O caos vai o topo novamente. Porque, não se enganem, o transporte público NÃO ESTÁ PRONTO para receber esta demanda.



                Solução básica e inteligente seria investir em mais obras, mais estradas, como tem sido feito pra Copa, mas não da forma que está sendo feita, com péssimo planejamento e prazos apertados (o que acaba gerando baixa qualidade). Não, façam um projeto a médio prazo, para melhorar para o povo e não só para o gringo. E com estradas melhores, mais acesso, e MAIS VAGAS e não menos como pretendem fazer, o trânsito melhora e se mantém controlado por mais uma década. Neste meio tempo, melhorem os transportes públicos, façam tudo aquilo que foi sugerido no quarto parágrafo deste texto, criem regras para se ADQUIRIR automóveis, uma quantidade por família. Não tirar a vaga, mas limitar a compra, e tudo será controlado. Mas aí vão pisar no calo dos que mandam neste país né? Nos que tem grana, nos empresários. Parem de pegar o caminho mais fácil pra sobrar tempo para gastarem meu dinheiro, porque não é pra seguir o caminho fácil que botamos vossas senhorias no poder, mas para nos representar da melhor forma. A MELHOR FORMA, não a mais fácil.



                O povo não quer largar o carro, porque o transporte público é ruim. Muito ruim. E a única coisa que aumenta é a passagem. A péssima qualidade permanece. Outro dia andei num trem que deveria estar num museu se restaurado, ou num ferro velho da forma que estava. Tenham dó do povo e parem de fazer melhorias “para inglês ver”. Façam melhorias para o povo ver e sentir!



                E pra finalizar eu não poderia deixar de citar o famoso Dia Mundial Sem Carro. Acontece no dia 22 de setembro no mundo todo. É um dia onde a população, embora não seja obrigada, é incentivada a deixar o carro em casa e procurar uma nova rota para o serviço. O objetivo deste dia é conscientizar o povo da importância de não abusar do transporte privado, do carro, da moto, e ensinar os malefícios deste tipo de transporte e os benefícios de uma boa caminhada ou ciclismo.

                Pois bem, acho isso muito bacana e lá fora tem até a Semana Europeia da Mobilidade, onde a conscientização é ainda maior. SÓ QUE LÁ FORA, NA EUROPA, O TRANSPORTE PÚBLICO FUNCIONA E É DE PRIMEIRA. Se eu tivesse por aqui o metrô que tem em Paris, meu nobre, eu nem queria saber de carro pra nada, eu iria quietinho escutando minhas músicas no fone de ouvido, tranquilo para o trabalho. Sei que faria uma baldeação, duas no máximo, chegaria no horário, viajaria 80% das vezes sentado, e quando em pé não chegaria a ser desconfortável, ninguém iria me “encoxar” não tomaria soco de outros querendo o assento, não precisaria passar quase na cabeça das pessoas para descer na minha estação e não me faltariam ar nos pulmões por falta de circulação em horário de pico.

                Então na boa, o Dia Mundial do Sem Carro é uma ótima iniciativa, uma ótima ideia, mas deveria ser usado pela mídia (principalmente) e pelas escolas para conscientizar o povo e o governo de que precisamos de melhores transportes públicos para que possamos finalmente deixar o carro em casa. Não fazer aquele teatrinho que se faz na televisão dizendo para simplesmente deixar o carro, sem respaldo, o que só inicia o caos e incita a violência.



                Então, senhores governantes, desçam da Terra do Nunca, saiam do País das Maravilhas e enxerguem a nossa realidade, porque o nosso ônibus, o nosso trem e o nosso metrô estão ruins, muito ruins. As vans ajudavam , mas não resolviam. Só que sem elas é ainda pior. Parem de subtrair os recursos do povo e acrescentem trabalho. Pensem sempre da seguinte forma: quando a solução for tirar algo, não é uma boa solução. Sempre acrescentar é melhor. Estão indo até bem para a Copa, apesar de tudo, então por que as obras só são feitas para os turistas? E o povo que lhes fazem ricos pagando mais imposto que ganha de salário? Não merecemos um pouco mais de conforto para chegar ao trabalho? Vou reformular a pergunta, para se adequar melhor à nossa realidade: Não merecemos uma forma digna de ir de casa ao trabalho e voltar?



                Abaixo deixo para vosso deleite o mapa das linhas de metrô de 3 diferentes cidades: Rio de Janeiro, Paris e Londres.



                Também deixo a matéria do jornal onde o Secretário Municipal de Transportes, Carlos Roberto Osório, explica os motivos pelo qual tiveram a “ótima” ideia de diminuir as vagas e diz tudo que o governo está fazendo pra melhorar o transporte público: NADA.





 Metrô Rio





Metrô Inglaterra



 Metrô Paris

Nenhum comentário:

Postar um comentário