segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

EXAGERO RACIAL ou A CONQUISTA DA IGUALDADE

Primeiro de tudo eu odeio o racismo e a homofobia. Tal qual o bulling. Sou gordo e meio negro (só me falta ser viado). Sei o que é sofrer no colégio.

Mas parei pra perceber que estamos caminhando para uma sociedade um tanto estranha. Veja uma história fictícia abaixo:






Ano 2045. Pedro estava saindo do banco quando foi abordado por um assaltante armado que o rendeu e o fez entregar todo o salário que acabara de sacar. Pedro lhe entregou tudo. 
Quando o bandido virou as costas, Pedro fez o que jamais se deve fazer: reagiu. 
Conseguiu derrubar a arma do meliante, lhe aplicou uma violenta chave de braço e o derrubou, lhe amarrando imediatamente com um barbante que estava convenientemente próximo, jogado ao chão. Chamou a polícia e aguardou a chegada da viatura.
A viatura chegou e dois policiais saíram do carro. Levantaram o ladrão amarrado, o desamarraram e algemaram. De repente o ladrão desmunhecou e começou a falar mole. Disse que era gay e queria registrar uma queixa de homofobia.
A polícia não pensou duas vezes. Libertou as algemas do meliante e prendeu o pobre Pedro por homofobia. Pedro ainda tentou dizer que só estava se defendendo de um assalto. Mas a polícia nada pôde fazer: era a lei no ano 2045. Agrediu um homossexual, cadeia.
Pedro pagou pelo seus crimes até 2050, quando se matou após saber que sua pena havia sido estendida por mais 10 anos por se defender de uma surra que lhe deram na cadeia. O agressor era negro.

***********************

Bom, se você leu essa história e se revoltou com o escritor, provavelmente já foi infectado pela nova doença que assola o mundo: o exagero racial. 

• Bulling contra qualquer pessoa, como gordinhos, é errado.
• Racismo é errado.
• Homofobia é errado.

Por que essas coisas são erradas? Porque somos todos seres humanos e merecemos respeito acima de qualquer coisa, respeito e direito de sermos considerados iguais a qualquer ser humano, independente do estado físico, raça, credo e orientação sexual.

Só que tenho visto já hoje, em 2013, uma inversão desses valores. Pessoas que queriam ser iguais, agora querem ter direitos especiais. E isso me enoja, porque é uma inversão de valores propostos pelas próprias pessoas antes injustiçadas.
São negros que querem ter “o dia internacional da mulher negra” ou dia da “consciência negra”, ou vários outros feriados raciais. ISSO PRA MIM É RACISMO. Porque racismo é se tratar diferente qualquer um por algum motivo físico. E quando você se presta a comemorar um dos dias citados, está compactuando com o racismo. 
Eu dei parabéns a todas as mulheres pelo dia internacional da mulher. Mas não dei parabéns a nenhuma no dia internacional da mulher negra. Por que? Pensa comigo: e se fosse o dia internacional da mulher branca. Haveria muito bafafá né? Certamente proibiriam o dia. Então porque temos que aceitar um feriado racista como esse?
Dia da consciência negra? Desculpem, mas todo dia é dia da consciência negra. Não precisam ter um dia só, porque nós (sim, eu também sou considerado negro em vários locais do mundo) temos que ser conscientes todos os dias. 


As marchas de orgulho gay. Legal lutar pelo direito de ter livre escolha. Mas vocês já pararam pra ver como é essa marcha? Na boa, na maioria das vezes é só uma desculpa para carnaval fora de época, ou exibição sexual explícita. Não vou generalizar, tem muito gay gente boa, tenho amigos gays e são gente boa. Mas até eles concordam que ultimamente aquele desfile não tem passado uma imagem positiva, nem tem sido o que deveria ser: educativo. Com objetivo de educar a sociedade.
E a tal cartilha gay? Aquela que queriam botar nas escolas, mas (por enquanto) vetaram. Ok, mas por que eu sofria bulling há 20 anos atrás no colégio e até hoje não ouvi falar de cartilha anti-bulling? Por que os negros já sofrem racismo nas escolas há mais de 200 anos e ainda não ouvi falar de uma cartilha anti-racismo? Tem alguma coisa errada aí né? A lei não deveria ser igual para todos?
A lei da homofobia eu sou contra. Sabe por que? Porque é uma lei redundante. E ela por si só é preconceituosa. Diz que há punição para quem agredir um homossexual. Mas já não há leis que garantem punição a quem agradir QUALQUER SER HUMANO? Por que se eu for agredido e disser que sou homossexual, a lei vai ser mais severa com os agressores? Não, eu quero que seja severa contra meus agressores porque eu fui agredido, independente da minha orientação sexual.


E por fim, eu disse que dei os parabéns as mulheres no dia internacional da mulher. Mas fiz isso por pura política. As mulheres foram as primeiras a buscar igualdade na sociedade. Eu tenho certeza que é merecido e as mulheres merecem total igualdade e destaque na sociedade. Mas como querer igualdade quando já começa a desigualdade no dia internacional delas? Por que não há um dia internacional do homem? Porque todo homem é um desgraçado traidor e que não presta? Será mesmo que todo homem é assim e que toda mulher é santa? Será porque mulheres tem filhos e homens não? Mas é um grande desprazer pra mulher ter filhos, tanto que merecem um dia só delas?
Conheci pessoalmente uma mulher, que espero que não seja exemplo, dizendo que as mulheres mereciam direitos iguais. Mas quando alguém falou com ela sobre pagar pensão ao marido que cuidava dos 2 filhos dela, ela disse que nem a pau, ele não fazia mais que a obrigação dele. E aí? Direitos iguais, mas deveres diferentes? Aí é fácil né?


Conheço 2 policiais, são parceiros, trabalham na mesma viatura. Um negro e um branco. Eles estavam me contando que quando vão revistar algum ônibus ou algo parecido, já até sabem: o negro revista os negros primeiro, depois parte para os brancos. O branco só revista brancos. Para evitar ser chamado de racista. Agora me diz, sociedade: esse parece um bom começo para uma sociedade livre do racismo? Quem levanta esse tipo de comentário deveria se envergonhar. 
Um amigo meu, que não vou revelar o nome, é bissexual. O cara enfrentou problemas no colégio que foram resolvidos de forma enérgica. A diretora foi mandada embora por ter feito comentários errados sobre a opção sexual dele. Até aí perfeito, é isso aí. Tudo fantástico se eu não soubesse que um grande amigo meu sofreu o mesmo preconceito na mesma escola e pela mesma diretora, anos atrás, por ser tatuado. Ele correu atrás, tentou registrar queixa, mas nem isso pôde fazer, a polícia achou pouco ele registrar uma queixa por ter sido chamado de vagabundo só pelo fato de ter uma tatuagem. Legal essa sociedade né? E nem vou falar a respeito dos “concursos públicos” que não permitem que tatuados que passaram tomem posse.

Para tentar terminar aqui, essa merda que já vai ser polêmica pra caramba, digo-vos que o fim da diferença depende de parar de nos vermos como diferentes. Se você quer ter direitos iguais, comece sendo igual. Se você é negro, homossexual, pobre, gordo, seja lá qual for sua “diferença”, comece tirando da cabeça que você é diferente, porque você não é. Todos somos iguais perante a lei e não precisamos de leis específicas. Precisamos fazer valer as que já existem. Se tu quer ser tratado com igualdade, comece não exigindo ser tratado com diferença. Redundante, mas é o que tem acontecido. E acima de tudo: apague seus próprios preconceitos. Sim, você provavelmente tem algum. O que mais conheço é homossexual cristófobo. Sei que tem cristão burro e até homofóbico, mas não somos todos assim e nem aceitamos homofobia dentro do cristianismo. Isso é ignorância e falta de conhecimento de alguns ditos crentes, não é uma concepção geral. Então reveja-se, reinvente-se, e descubra que é mais fácil do que aparenta se livrar do racismo. Mas comece não se considerando diferente e não tente levar vantagem pela sua diferença, pois isso também é racismo. Você não é diferente, não merece ser menosprezado, mas também não merece ser aclamado. Seja igual e será igual.

Atenção: prevejo comentários maldosos e pedras vindo em minha direção. Responderei só os que compreenderam o texto e tenham algo inteligente a dizer. Ignorarei os ignorantes.

É nós, castanha e avelã.
Fui!

Por Flavio Batista da Silva

2 comentários:

  1. Até que enfim encontro uma opinião sensata e que vê a sociedade desigual que estamos criando... Fomos de um oposto ao outro em questão de racismo, homofobia, "liberdade sexual" - isso ta mais pra libertinagem...
    Adorei seu post e já compartilhei no twitter.
    Parabéns pela família!

    ResponderExcluir